RESENHA: LIVRO “QUANDO TUDO MUDA”

quando-tudo-muda-1

Chegou pra gente um lançamento fresquinho da editora Panda Books, o livro “Quando Tudo Muda”, das autoras brasileiras Regina Drummond e Shirley Souza. A obra conta a história de Vanessa, uma garota de 13 anos que se muda repentinamente para a Alemanha com sua mãe e tem a vida virada de cabeça para baixo – de repente! Se interessou? Quer saber mais? Então é só continuar lendo este post! 🙂

quando-tudo-muda-3

De cara, a gente percebe que o livro é muito bonito: a capa recebeu a silhueta de uma garota com um mapa, um coração quebrado e uma máscara junto ao título, enquanto lá trás podemos ver um pouquinho da Alemanha pintada em vermelho. O contraste das cores e a combinação dos desenhos deixou o livro com um visual forte e interessante!

O livro tem orelhinhas e cada uma delas fala um pouco sobre as autoras e, por dentro, as 223 folhas são amareladas e com uma fonte e espaçamento muito agradáveis para a leitura. “Quando Tudo Muda” ainda recebeu um sumário que agrupou seus 21 capítulos.

As autoras, Regina Drummond e Shirley Souza, são veteranas: as duas já escreveram muitos e muitos livros para crianças e jovens, além de terem ganhado vários prêmios importantes. E olha que curioso: embora a história da obra se passe na Alemanha, nenhuma delas já viajou para lá. Regina diz que o enredo é fruto de inúmeras histórias de viajantes do mundo inteiro – e Shirley foi convidada por ela para trazer frescor à narrativa. Spoiler: a ideia deu muito certo! 😉

quando-tudo-muda-4

Sinopse: Depois do divórcio dos pais, Vanessa tem de lidar com uma mudança muito maior em sua vida: deixar tudo para trás e morar em outro país. A vida na Alemanha revela-se cheia de desafios, como aprender uma nova língua, se adaptar a uma cultura diferente e encontrar o seu primeiro amor.

O primeiro fato que notei lendo o livro é que, mesmo que nossa personagem principal, Vanessa, tenha apenas 13 anos, não é difícil se identificar com ela: muitos de seus pensamentos eram parecidos com os meus quando tinha a mesma idade! Além disso, a forma com que a obra é escrita envolve detalhes que deixam todos os aspectos em relação à vida da menina bastante interessantes.

Por sinal, se você não gosta de livros que enrolam muito em apresentações, irá gostar deste. Os fatos são apresentados rapidamente e, com isso, a leitura dá uma agilizada e sentimos vontade de devorar o livro todinho num dia só!

quando-tudo-muda-2

“Ela parou um instante, esperando que suas pupilas se abrissem e seus olhos se adaptassem à pouca luz… Mas, como sempre, ficou sem saber o que acontecia lá dentro, porque neste momento, igual a tantas outras vezes, Vanessa acordou.” 

Os temas que envolvem “Quando Tudo Muda” são a coragem frente às mudanças, o primeiro amor, primeiro beijo, primeira desilusão amorosa e separação dos pais. Além disso, entramos em contato com a cultura da Alemanha e é legal notar alguns hábitos e histórias interessantes que se desenrolam de maneira divertida ao longo da história.

Achei a obra bem levinha e, mesmo que eu nunca tivesse pensado em morar na Alemanha, consegui visualizar bem como é ser uma estrangeira no país, que tem a terceira maior população de imigrantes do mundo. A leitura vale a pena tanto para quem pensa em viajar para lá quanto para quem nunca considerou o assunto, assim como eu!

Curtiu a resenha? Conta pra gente nos comentários! 

Anúncios

RESENHA: “DOCE PRIMAVERA”, DE DREISSE DRIELLE

doce-primavera-1

Hoje é dia de resenha aqui no Babado Secrets! E o livro da vez é o “Doce Primavera”, romance adolescente escrito pela mineira Dreisse Drielle e publicado pela editora Multifoco no ano passado. Quer saber sobre o que se trata e o que achamos da obra? Então vem ler esta resenha! \o/

doce-primavera-3

Olha que demais: as leitoras mais novas talvez não lembrarão, mas a Dreisse Drielle foi por algum tempo colaboradora aqui do Babado Secrets! ❤ Ela escrevia textos incríveis no blog, que conquistavam o coração de todo mundo. ❤ Deu pra ver que seu talento foi super em frente, né? O livro é prova disso e nós estamos super felizes com essa conquista da escritora mineira. Parabéns, Dreisse!

doce-primavera-5

A obra é relativamente fina – são 164 páginas -, possui orelhas (oba! Sou praticamente a louca das orelhas! Haha) e tem esta capa listrada em creme e vinho com a ilustração de uma menina, que representa a personagem principal da obra, Catarina.

Simples e ao mesmo tempo bem fofinho, né?

O papel é offset branco e o espaçamento é bom, diria até que parece ser um tantinho maior do que o dos últimos livros que li. No início, também há um sumário listando todos os 23 capítulos.

doce-primavera-4

“Catarina é uma adolescente com sonhos tão grandes que eles mal cabem em sua mente. Depois de ter crescido em São Paulo, ela teve que se mudar com sua família para Primavera, uma cidade muito pequena, que ela nem sabia que existia no mapa. Com a mudança, a garota se vê com um desafio imenso pela frente: precisa se adaptar à nova vida, além de encarar as novidades da adolescência e superar sua paixão platônica pelo professor de Matemática. Certa de que nunca irá conseguir gostar de Primavera, ela vive seu primeiro amor e sua primeira grande decepção na cidade que promete ser uma montanha-russa na vida desta menina de 14 anos. No meio das implicâncias de seu irmão Felipe e dos conselhos legais da amiga Sofia, Catarina precisa do apoio de seu diário para sobreviver a essa nova fase.”

Pela descrição, já deu para perceber que o livro trata de vários assuntos, né? Mudança, novos amigos, amores platônicos, decepções e várias outras coisas que uma adolescente pode enfrentar. Tudo isso se desenrola naturalmente, de um jeito bem leve e que te instiga a saber mais e mais.

doce-primavera-2

Em primeira pessoa, a história é bem bacana! Você lerá um tipo de diário da Catarina. Somos apresentados a ela pela própria e é praticamente impossível não se identificar com a personagem: por mais que você não tenha uma personalidade parecida com a dela, de cara já entenderá alguns gostos e manias da menina e passará a querer saber o que vai acontecer com sua vida. É bom apontar que não rola assim “pá, pum”, não! No primeiro capítulo, por exemplo, ela fala sobre a tal mudança de cidade e, aos poucos, vai contando um pouquinho mais a respeito de sua própria vida. Isso de não entregar tudo de uma vez é bem legal.

E o que acontece? Assim como a própria descrição do livro já diz, Catarina muda de cidade e, com isso, várias coisas inusitadas vão rolando. É interessante ver como os diálogos fluem naturalmente (adoro suas conversas com Sofia, a amiga!) e há referências divertidas em várias passagens, além de algumas comparações mais densas, num estilo de escrita interessante. Quem acompanhava e curtia os textos da Dreisse por aqui vai gostar com certeza!

O livro ainda termina com uma mensagem sobre auto afirmação e a autora, assim, fecha a história de um jeito bem amarrado. Acho que várias meninas lerão “Doce Primavera” e verão muito de suas próprias vidas sendo retratado ali. 🙂

Curtiu a resenha? Se você se interessou pelo livro e quiser comprá-lo, é só clicar aqui.

LIVROS QUE VOCÊ NÃO CURTIU DURANTE A ESCOLA, MAS DEVERIA LER AGORA

livros-escola

É nas aulas de Literatura e de Língua Portuguesa que começamos a conhecer várias obras clássicas da literatura brasileira. Muitas delas são matéria obrigatória para o vestibular e, bom, justamente por estes livros serem obrigatórios, sabemos que muita gente logo cria uma imagem ruim e fica com preguiça de lê-los. :/ Acontece ou aconteceu com você?! Bom, que tal dar uma segunda chance pra eles? É sério! São legais de verdade e (bem provável) ainda melhores do que aquele último livro que você comprou na semana passada. Foi pensando em provar isso que listamos cinco livros clássicos muito bons e o motivo pelo qual você deve lê-los imediatamente. Olha só!

  • Memórias de um Sargento de Milícias – Manuel Antonio de Almeida

Quando vi a capa deste livro, com um soldado, e liguei ao nome da obra, pensei: vixe, que chatice. Engano meu! O livro retrata a rotina do Rio de Janeiro no início do século XIX e apresenta aquela figura do “malandro” inserida neste cenário. A história do pequeno Leonardo é contada desde o início e ele é aquela típica criança que não pára quieta nem por um segundo. A trama vai se desenrolando (os capítulos são curtos e funcionam como episódios, é delicinha de ler!) e o garoto cresce e encara diversos problemas e conflitos. Vale a leitura!

  • Dom Casmurro – Machado de Assis

Como não se apaixonar por esta história? Bentinho e Capitu são criados juntos desde pequenos e acabam se apaixonando. Acontece que Bentinho, por conta de uma promessa de sua mãe, acaba indo para um seminário pra se tornar padre. Eita! Muita coisa acontece e este amor (impossível?) acaba se aventurando por mil caminhos. A obra, no final, ainda deixa uma pergunta em aberto que vai te fazer sentir vontade de lê-la muitas outras vezes para procurar a resposta nas entrelinhas!

  • Capitães da Areia – Jorge Amado

“Capitães de Areia” aborda a questão dos menores abandonados, o preconceito da elite e as greves de trabalhadores, tudo isso na escrita envolvente de Jorge Amado. A história é uma aventura em que um grupo de meninos de rua se esconde em um armazém abandonado em uma praia da Bahia, onde o destino incerto de cada um nos faz ver que, na realidade, todos têm a rua como professora da vida. Assim, eles vão crescendo e tendo seus rumos traçados. O autor revela em detalhes como são os personagens e tudo o que acontece com eles, muitas vezes beirando até a crueldade, sem deixar passar nadinha!

  • Iracema – José de Alencar

Iracema é uma representação da história brasileira através de uma romantização, de uma metáfora que representa a nossa origem de forma muito bonita e um tanto tocante. O romance conta a história do amor de Martim, o branco, por Iracema, uma índia. A relação é uma alegoria que representa a formação da nação brasileira, em que a índia seria a natureza virgem e o colonizador é a invasão da cultura europeia. A escrita de José de Alencar é tão perfeita… quase um poema!

  • Brás, Bexiga e Barra Funda – Alcântara Machado

“Brás, Bexiga e Barra Funda” é um livro de contos sobre o cotidiano da antiga São Paulo. Os contos são curtinhos e a leitura é rápida. Tem o conto do “Gaetaninho”, um menino maluco por futebol, “Carmela”, sobre uma mulher linda e seus romances, “Tiro de Guera nº 35”, que fala de um grupo escolar da Barra Funda, em que o protagonista aprende a amar o Brasil, “Amor e Sangue”, um conto a respeito de um assassinato, “A Sociedade”, sobre costumes classicistas de uma família paulista, “Lisetta”, sobre uma menina pobre que só queria um bichinho de pelúcia, e mais algumas outras histórias do tipo, que nasceram em forma de notícias.

E a melhor parte de todas essas obras é que cada uma delas possui um contexto histórico interessantíssimo, permite diferentes interpretações e conta com uma excelente estrutura narrativa. Ou seja, são profundas e, por isso, ótimas em todos os sentidos! Além desses livros, você consegue se lembrar de mais alguns para recomendar pra gente? Conta aí!